7 dicas pra não esquecer das coisas

Quantas vezes você chegou no supermercado e descobriu que esqueceu a lista de compras? Entrou na farmácia e percebeu que não tinha a minima idéia do que foi fazer ? Pior, quantas vezes você esqueceu o aniversário do seu melhor amigo(a)?

Esquecer coisas importantes de vez em quando é normal, acontece com todo mundo, mas esquecer coisas importantes o tempo todo, desculpe, mas é mesmo falta de noção! Sim, falta de noção do quanto isso pode prejudicar a sua vida e a vida das pessoas que você gosta.

Quer parar de esquecer as coisas? A principal dica que posso dar pra é:

Crie o hábito de utilizar uma agenda.Carregue-a sempre com você e acostume-se a anotar tudo. Tarefas, lembretes, compromissos, aniversários, idéias e toda informação que você precisará recuperar em algum momento. A agenda é a melhor memória que uma pessoa pode ter para melhorar sua produtividade no dia a dia. É uma pena, mas muitas pessoas utilizam qualquer pedacinho de papel para anotar informações importantes e não utiliza qualquer tipo de agenda, como demonstra uma de nossas enquetes, respondida por mais de 5000 pessoas. Confira abaixo.

1. Envie a você mesmo uma mensagem. Quando não houver outra possibilidade de registro, “envie-se”uma mensagem de texto , de voz ou mesmo um e-mail. A mensagem ficará registrada até que possarecuperá-la ou transferi-la para sua agenda.
 
2. Utilize uma “caixa de entrada” de anotações. A chave para não esquecer nenhuma ideia ou pensamentoé capturá-los o mais rapidamente possível em uma
caixa de entrada portátil que você mantenha à mão tempo todo. Uma caixa de entrada portátil deve ser pequena, discreta e pronta para uso. Pode ser umgravador de voz, um assistente pessoal digital (PDA) ou um bloquinho de anotações.
 
3. Deixe sua “caixa de entrada” de anotações na cabeceira da cama. Ao dormir nossa mente ainda trabalhaelaborando novas idéias, através dos sonhos ou insights. Se tivermos à mão um gravador, cadernode anotações ou mesmo nossa agenda, este é um bom momento para tirar os pensamentos dacabeça e registrá-los.
 

4. Planeje tarefas rotineiras sempre no mesmo horário.Designe dias certos da semana para fazer certas coisas, como supermercado às segundas, levar a roupa para a lavanderia às terças e assim por diante. O hábito pode ser o melhor amigo da sua memória. Planeje sua rotina diária, semanal e se possível ate mensal! Isso lhe trará mais segurança quanto ao cumprimento das suas responsabilidades.

5. Coloque as coisas num lugar óbvioSempre esquece onde deixou as chaves do carro? Compre um porta chaves e pendure atrás da porta da cozinha ou outro local de fácil acesso, e acostume-se a deixar as chaves quando chega em casa. Coloque um bilhete no espelho do banheiro,te lembrando do remédio que precisa tomar.

6. Amarre um barbante no dedo. bom, bom, essa idéia é antiga e até meio idiota certo? Mas funciona às vezes. Trocar o anel de uma mão para outra, inverter o lado do relógio no pulso etc, pode ajudar quando você precisa lembrar de algo num curto período, por exemplo no espaço de tempo entre sair do trabalho e chegar em casa.

7. Use um Smartphone.Essa é a dica de ouro. Existem centenas de aplicativos voltados à anotações, disponíveis para todos os tipos de smartphones. Além disso, uma vez que seu telefone estará sempre com você, sua agenda ou seu bloco de notas também estarão, facilitando o hábito de anotar tudo e na hora certa. Se você quer saber mais sobre smartphones, faça aqui o downloadgratuito do guia interativo Organize-se com um Smartphone.

O grande Albert Einsten foi certa vez questionado por um reporter: “porque o senhor, que possui uma mente considerada brilhante, precisa de uma caderneta para ajudá-lo a lembrar do seu próprio telefone?” Einsten respondeu: ”pra que vou ficar ocupando minha mente com informações sem importancia, se posso anota-las e depois consulta-las no momento que quiser?”

 

Grande cara esse Einstein!

Organize-se, você pode!

 

 


"Esta matéria pode ser publicada gratuitamente em seu site, jornal, revista ou newsletter, desde que citada a fonte: www.organizesuavida.com.br. Se desejar publicar artigos e informações exclusivas entre em contato."

newsletter

Você é um guardador crônico?

Inúmeras pessoas têm sérias dificuldades para se desfazer de obje­tos, roupas, documentos e “coisinhas”. Que jogue a primeira pedra quem nunca olhou um casaco sem uso anos e se perguntou “Será que eu não vou usar mais MESMO?” Sim! O ato de guardar coisas é comum a todos os mortais. O que muda é o grau em que cada um de nós somos guardadores.

A pedido da repórter da Revista do Jornal da Tarde, Marcela Rodrigues, elaborei um teste para descobrirmos, então, em que grau somos guardadores.
Atreva-se a testar seu apego às coisas. Você pode se surpreender

TESTE: É HORA DE JOGAR FORA?
Pense em algo que você tenha guardado e responda SIM ou NÃO:

1. Você usou este objeto nos últimos 2 anos?
2. Ele ainda serve em você?
3. Você ainda gosta do objeto tanto quanto gostava quando comprou ou ganhou?
4. Você ainda aprecia o estilo ou design deste objeto, ou seja, ele tem a ver com sua personalidade e estilo atual?
5. Este objeto é uma recordação familiar, amorosa ou de viagens?
6. Você tem algum motivo legal, prático ou específico para guardá-lo?
7. Você imaginou a possibilidade de que jamais use novamente o objeto?
8. Você se sente confortável e seguro imaginando-se sem o objeto?
9. Você sente mais satisfação em permanecer com o objeto em desuso do que usar o espaço que ele ocupa para um objeto novo?
10. Você pensou que este objeto pode ser um achado incrível para outra pessoa?

Até 3 NÃO Pessoa padrão: normalmente descarta o que não usa mais, porém é ape­gado a alguns objetos.
De 4 a 6 NÃO Guardador: guarda inúmeros objetos mesmo sem ter certeza de que algum dia lhe serão úteis novamente.
De 7 a 10 NÃO Guardador crônico: não consegue se desfazer de quase nada e man­tém por anos a fio objetos sem utilidade.

Autora: Ingrid Lisboa


“Esta matéria pode ser publicada gratuitamente em seu site, jornal, revista ou newsletter, desde que citada a fonte: www.organizesuavida.com.br. Se desejar publicar artigos e informações exclusivas entre em contato.”

newsletter

5 dicas para viver com simplicidade e organização

O que é simplicidade afinal? Não existe uma teoria sobre o que é ser simples. Isso varia muito de pessoa para pessoaCoisas que são simples pra mim pode não ser pra você. Devemos buscar soluções e alternativas que nos ajude a viver de uma maneira mais simples e organizada, mas sem forçar nossa natureza. O segredo é adotar hábitos que possam contribuir para que a gente alcance o equilíbrio entre nossa vida pessoal e profissional,  de forma prazerosa. Abaixo coloco algumas dicas que podem servir pra você.

1. Faça planos simples – Um plano simples é aquele fácil de ser seguido e que pode ser executado com poucas ações objetivasPor exemplominha meta é ir pra Itália nas férias do ano que vem. Minhas ações poderiam ser: pesquisar qual a melhor época para a viagem, consultar uma agência e escolher o melhor pacote, negociar minha saída de férias na empresa, providenciar os recursos financeiros necessários e organizar a viagem. Esta é uma época propícia para fazer as nossas resoluções de ano novo, mas se não as planejarmos corretamente, corremos o risco de não as realizarmos novamenteVeja aqui o artigo

2. Simplifique seu espaço de trabalho –  Trabalhar num espaço limpo e organizado é fundamental para que possamos manter o foco e ganhar produtividade. Isso não significa deixar tudo arrumadinho ou bonito aos olhos dos outros, mas sim deixar de uma forma que funcione bem pra você. Jogue coisas fora, limpe suas gavetas e organize seus arquivos. Dica: conheça o OZ! Arquivo Mágico. Separe um dia exclusivo para esta atividade e mãos a obra. Veja aqui um guia simples para ajudar você nesta tarefa.

3. Use os recursos digitais a seu favorAssim como uma mesa ou ambiente bagunçado, um computador desorganizado também pode roubar o nosso tempo e prejudicar nossa produtividade. Veja aqui como organizar seu computadorseus e-mails. Considere também a possibilidade de utilizar um Smartphone (Iphone, blackberry, etc) para organizar e simplificar a sua vida. O smartphone pode te ajudar a centralizar todas as informações que você precisa para gerenciar tarefas e atividades, além de oferecer inúmeros outros recursos úteis.

4. Não acumule coisas demaisSimplifique sua vida. Crie o hábito de tirar duas peças de roupa do armário a cada uma nova que comprar. Um armário ou closet entulhado, entre outros problemas, faz com que você perca o controle sobre o que tem e compre coisas desnecessárias. Uma ou duas vezes por mês de uma olhada nas coisas que você não usa mais e separe para doar. Seu vizinho, sua prima ou uma pessoa carente podem estar precisando. Além de roupas, veja também brinquedos, livros, equipamentos esportivos , CDs, Games e todas aquelas bugigangas que caem na sua cabeça quando você abre o maleiro do quartinho dos fundos. Quer uma ideia legal? Deixe algumas dessas coisas que não usa mais no porta-malas do seu carro e ofereça à pessoas carentes quando encontra-las pelas ruas .

5. Concentre-se naquilo que é importante  – Aprenda a fazer uma coisa de cada vez e focar naquilo que realmente importa. O hábito de planejar é importante para ajudar você a ser mais produtivo e evitar o retrabalho. Planejamento não significa necessariamente uma coisa complexa. Uma ótima ideia e que pode facilitar muito a sua vida é utilizar a técnica dos Mapas Mentais. Se quiser conhecer mais acesse esse site ou leia este livro

Organize-se, você pode!

 


"Esta matéria pode ser publicada gratuitamente em seu site, jornal, revista ou newsletter, desde que citada a fontewww.organizesuavida.com.br. Se desejar publicar artigos e informações exclusivas entre em contato."

newsletter

8 Resoluções de Ano Novo que você deveria considerar

Quem bom!  Mais um ano se foi e mais um está chegando. “Neste próximo ano tudo será diferente”, alguns pensam. O problema é que muitas pessoas apenas pensam, mas mesmo possuindo a melhor das intenções, não consegue alcançar suas metas, não consegue colocar em prática aquelas resoluções que definiu. A questão é: por que será que isso acontece, e pior, se repete a cada ano ?

Cada um tem sua própria justificativa não é mesmo? Se você tem uma que seja boa, compartilhe-a conosco, envie um email para mim e sua opinião.
 Na verdade, as razões para deixarmos de fazer algo podem ser muitas e ter diversas origens, mas o que eu posso afirmar é que se você quiser aumentar suas chances de conseguir colocar em prática suas resoluções de ano novo, deve considerar dois pontos:

ATITUDE e ORGANIZAÇÃO
 Apenas tomar a atitude é um grande e fundamental passo, mas sem organização, sem planejamento, a coisa não vai rolar.
 Abaixo descrevo as 8 resoluções de ano novomais conhecidas, mais prometidas e também "mais não cumpridas". Apresento ainda algumas sugestões para facilitar sua execução.

1. Matricular-se em uma academia com saudades do espelho
Dica: Veja nos links abaixo uma lista de academias. Escolha a sua, ligue, informe-se, agende uma aula teste. MEXA-SE!
http://preco2.buscape.com.br/servicos-de-academias.html
http://www.cdof.com.br/academia.htm

2. Fazer uma dieta marcar para iniciar às segundas feiras não tem funcionado não é mesmo
Dica: Procure ajuda, encontre uma motivação que justifique o esforço. Veja estes links
http://minhavida.uol.com.br/HomeMinhaVida.vxlpub
http://cyberdiet.terra.com.br/cyberdiet/
Organize-se e emagreça
  
3. Fazer aquela viagem que tanto sonha – Se mexa ou vai acabar conhecendo Paris ou Veneza somente pelas fotos!
 Dica: compre revistas, pesquise na internet. Comece a materializar este sonho. Faça um roteiro da viagem que gostaria de fazer, mas no papel, de forma organizada. Faça cotações em agências e tenha uma idéia de quanto iria gastar. Se não tiver dinheiro, defina o valor que pode economizar e o prazo necessário para obtê-lo. Abra uma poupança específica para esta finalidade. Marque na sua agenda datas e ações que vão ajudá-lo a cumprir sua meta. Marque suas férias na empresa onde trabalha.
Dicas para planejar sua viagem
Submarino Viagens

4. Parar de fumar sem comentários
 Dica: neste caso, tomar uma atitude é fundamental. Converse com pessoas que conseguiram parar e encontre uma história inspiradora. Se precisar de ajuda, digite "quero para de fumar" em qualquer buscador, como o google por exemplo, e encontrará dezenas de possibilidades.

5. Quitar todas minhas dívidasnão aumentá-las é um ótimo começo
 Dica: DVD Dívidas nunca mais
5 passos para a saúde financeira
  
6. Aprender alguma coisa nova como falar francês, tocar saxofone, jogar tenis, fazer malabarismo com bolinhas etc –
 Dica: Pesquise , leia mais sobre o assunto. Marque uma data em sua agenda para visitar uma escola, ligar para um curso ou executar as tarefas necessárias para levar adiante seu plano. Faça isso agora!

7. Abrir o próprio negócio
 Ter boas idéias apenas não resolve. Tem que colocar em prática. Veja o site “botar pra fazer”. Começar um negócio entretanto, exige planejamento e alguns cuidados básicos.
 Dica:Você pode conseguir orientação valiosa procurando o Sebrae na sua cidade ou acessando o site do Instituto Empreender Endeavor, onde vai encontrar uma videoteca e uma biblioteca de arquivos muito bacana.

8. Ser mais organizadoessa resolução é minha preferida e acredite, a mais importante
 Dicas: Clique nos links abaixo para conferir:

1. OZ! Arquivo Mágiconunca mais perca papéis e documentos importantes
2. E-book Organização Pessoal – um guia completo para organizar-se com sua agenda
3. Organizadores de armários – organize seus armários de uma vez por todas
4. Cursos de Organização aprenda a organizar-se em casa e no trabalho. Confira nossos programas.
5. Visite a Loja OZ! e veja centenas de produtos, cursos e serviços que podem ajudar na sua organização
6. Adquira o costume de navegar pelo site www.organizesuavida.com.br e você vai encontrar dicas valiosas.

Mas como afinal posso assegurar que eu atinja os objetivos que determinei?

http://www.organizesuavida.com.br/shop/imagemens1/bullet_artigos.jpg Defina poucas metas ou resoluções. Fica mais fácil manter o foco.

http://www.organizesuavida.com.br/shop/imagemens1/bullet_artigos.jpg Coloque tudo no papel. O simples fato de escrever, reforça o compromisso. Mantenha anotações atualizadas em sua agenda ou organizador pessoal.

http://www.organizesuavida.com.br/shop/imagemens1/bullet_artigos.jpg Coloque lembretes em sua agenda, distribuídos pelos próximos meses. Use alarmes se possível.Não possui agenda? Compre uma. Isso é fundamental. Veja aqui uma tabela para ajudá-lo a escolher.

http://www.organizesuavida.com.br/shop/imagemens1/bullet_artigos.jpg Marque uma data. Resoluções sem data definida para acontecer, tem uma grande possibilidade de não se realizar. Defina sempre quando

http://www.organizesuavida.com.br/shop/imagemens1/bullet_artigos.jpg Escreva um "passo a passo".Junto com a definição da sua resolução, escreva as tarefas necessárias ou como pretende fazer aquilo acontecer. Por exemplo, se sua meta for, Viajar para Itália no final do ano que vem. Você deve: 1. Ligar para uma agência de turismo e saber preços e condições,  2. Se não tem dinheiro, definir quanto economizar por mês e abrir uma aplicação específica para isso,  3. Conversar com pessoas que viajaram, recolher dicas e idéias inspiradoras. 4. Programar suas férias no trabalho. E assim por diante.

http://www.organizesuavida.com.br/shop/imagemens1/bullet_artigos.jpg Pense à frente. Não faça sua resolução no dia do ano novo apenas. Feito desta forma a resolução irá refletir apenas um momento particular. Tente separar um tempo calmo e tranquilo, com antecedência.

Seja realista. Defina metas e objetivos que possam ser cumpridos. Não adianta por exemplo, resolver que nunca

Newsletter OZ! Assine grátis

Clique aqui para assinar. O que você receberá em seu e-mail:

 

Organize Home
Saiba como organizar sua casa, facilitar a sua vida doméstica e otimizar o seu espaço. A maioria das donas de casa se queixam de falta de espaço mas a falta de organização representa mais de 50% das causas da desordem e de vários outros problemas domésticos.


Organize Office
Veja dicas para organizar sua agenda, suas tarefas e ter mais produtividade e bem estar no trabalho. A falta de organização está diretamente relacionada com o retrabalho, stress, prejuízos financeiros, ineficiência, a incapacidade de gerenciamento do tempo.

Como se organizar para obter uma dieta balanceada e qualidade de vida

Cuidar da saúde é importante e a boa alimentação é essencial para esse cuidado. Veja as dicas da Dra.Andrea Morales, nutricionista consultada pela OZ!, organize sua dieta e ganhe em qualidade de vida.

Alguns alimentos que devem sempre ser incluídos em sua lista de compras:

1. Frutas frescas: todas da época, também água de coco;
2. Variedade de vegetais de todas as cores;
3. Carnes: bovina, aves, peixe, frescos e com baixo teor de gordura;
4. Incluir: grãos integrais, castanha de caju, gergelim, semente de abóbora ou de girassol pelo alto teor de nutrientes saudáveis;
5. Brotos, grãos germinados (clorofila) também podem ser inclusos para ser consumidos com suco de frutas;
6. Chás naturais de ervas: ex – camomila, erva-doce, hortelã, erva cidreira;
7. Usar, se necessárioaçúcar mascavo com moderação, em caso de suspensão do açúcar por motivos de saúde ou por preferência, usar adoçante a base de stevia;
8. Margarina sempre sem gordura trans e óleo de girassol ou canola são mais saudáveis.

Alguns benefícios de uma alimentação balanceada:

1. Revitalização física;
2. Aumento da resistência imunológica;
3. Melhora da estética corporal, bem como, pele, unhas e cabelos;
4. Melhora o funcionamento digestivo;
5. Beneficia as funções orgânicas, inclusive o coração, prevenindo doenças.

Autora:
Dra. Andrea Abreu  Morales
CRN 10663
Nutricionista e Esteticista
Pós-graduada USPAtividade Física, Saúde e Envelhecimento
 


"Esta matéria pode ser publicada gratuitamente em seu site, jornal, revista ou newsletter, desde que citada a fonte: http://www.organizesuavida.com.br/.
Se desejar publicar artigos e informações exclusivas entre em contato."

newsletter

Dicas para adotar novos hábitos

Quando decidimos mudar um comportamento ou um hábito instalado, verificamos muitas vezes que a rapidez e eficácia com que isso acontece não é a desejada. As mudanças em relação ao estilo de vida e comportamentos de saúde não fogem à regra.

De fato, este é sempre um processo progressivo e dinâmico, com avanços mas também com alguns imprevistos pelo caminho. No fundo, é importante encararmos os percalços como algo natural mas excepcional, não perdendo de vista o objetivo final.

Liste 10 razões para ser fisicamente mais ativo e coloque na porta da geladeira. Aproveite e coloque também, quais as potenciais barreiras e liste algumas formas de as ultrapassar.

* Por exemplo: se a falta de tempo parece uma limitação forte, experimente ver com atenção onde gasta todas as horas do seu dia (incluindo o fim de semana)… Poderá surpreender-se com o que vai descobrir!

* A sua criatividade é importante. Desde alertas no celular ou computador e mensagem na porta do quarto… Todos precisamos de lembretes de vez em quando. Crie os seus!

21 dias (3 semanas) são o período necessário para se condicionar novos hábitosquebrar vícios, estabelecer hábitos novos ou alterar hábitos antigo.

Em outras palavras, se você quer incorporar um hábito novo na sua vida ou alterar ou cortar um existente, tudo o que você tem a fazer é conscientemente manter o esforço repetitivo por 21 dias, após os quais seu cérebro e seu corpo passarão a reconhecer o novo hábito como estabelecido, repetindo automaticamente o novo padrão – de forma que o esforço consciente passa a não mais ser mais (tão) necessário.

Caso falhe uma, duas ou três vezes, NÃO DESISTA. Tente descobrir porque é que falhou, e trace um plano para superar esse obstáculo da próxima vez. Depois seja o mais consistente possível dai para a frente, até que o hábito esteja enraizado.

Se recomeçar e for aprendendo com os erros, as falhas se tornarão algo positivo que vão ajudar você a alcançar o sucesso. Os erros são apenas degraus que nos permitem subir a escada do sucesso. Se decidir parar antes de alcançar o topo nunca irá saborear o verdadeiro prazer da conquista.

Pegue seu "Guia Organize Sua Vida" no site e conheça muito mais dicas úteis para você! Basta fazer seu cadastro completo no site, aqui.

newsletter

Reflexões sobre o perfeccionismo

Os recentes acontecimentos que comoveram o mundo, tais como os atentados terroristas nos Estados Unidos, guerra no Afeganistão, antigos conflitos entre povos irmãos no Oriente Médio novamente despertaram a curiosidade do ocidental em analisar e conhecer as realidades de alguns povos excluídos dos hábitos e da riqueza do ocidente.

Voltando a atenção para algumas das regiões esquecidas do planeta pelos ocidentais, somente evidentes nesses momentos de tragédias ou conflitos, ouvi com bastante frequência comentários sobre a pobreza, ignorância, baixo grau de civilidade, etc, muito do que poderia me fazer concluir que o ocidente tinha o “mal” e a ignorância para enfrentar.

Entretanto, várias entrevistas com representantes dessas culturas e desses ‘mundos’ revelaram uma outra realidade, uma compreensão estruturada, significados e comportamentos coerentes e hábitos culturais construídos ao longo de várias gerações. Evidentemente, muitos dos representantes desses povos não compartilham das explicações e atributos dados a eles pela mídia ocidental, da mesma forma que muitos nos julgam inadequados a partir de seus próprios conhecimentos e hábitos culturais.

Quando tratamos da experiência subjetiva, em especial das razões e formas variadas do comportamento humano, não consegui ainda encontrar uma única verdade que fosse capaz de explicar clara e logicamente a natureza dos motivos dos impulsos e hábitos humanos.

Pensando assim, descobri como pesquisador do comportamento, que existem algumas reflexões muito úteis para promover maior flexibilidade e uma nova ordem interior que seja mais ‘doce’ e respeitosa, principalmente no que diz respeito àquelas pessoas muito exigentes e duras para consigo mesmas (o que parece já fazer parte de nossa cultura e da educação que buscamos e recebemos para a conquista do sucesso nesse ‘grande jogo’ que é a vida em sociedade). Creio que alguns exemplos possam esclarecer melhor a verdadeira importância do perfeccionismo que herdamos, creio eu, especialmente da cultura européia.

Certa vez, um amigo me procurou pedindo ajuda para emagrecer… No passado já pesara 170Kg. Quando o conheci em um de meus seminários pesava 105Kg e, curiosamente, começou a emagrecer espontaneamente após o curso como uma conquista pessoal indireta daquilo que tinha aprendido inconscientemente durante o curso. Entretanto, um ou dois anos depois, seu peso saíra do controle mais uma vez e não havia mais regime que resolvesse (tinha 110Kg e sua meta era 90Kg por sua estatura ser bastante avantajada).

Assim, antes de um trabalho específico com hipnose para buscar uma solução, tive uma longa conversa com ele… Procurava alguma outra questão que pudesse acompanhar sua insatisfação com o próprio peso: qual não foi a minha feliz surpresa em descobrir que tudo estava perfeito em sua vida! Pessoal, profissional, familiar, afetiva, patrimonial e financeiramente! Pensando um pouco sobre o assunto, terminei por lhe propor o seguinte: “Todos os setores de sua vida estão perfeitos… Se eu fosse você, não me preocuparia com os fracassos na busca de seu peso ideal, mesmo se nosso trabalho com hipnose falhar!”.

“Mas por quê?” Disse ele. “… É a única coisa que está me incomodando atualmente!”. Eu disse: “justamente por isso!”. Percebi que ele tinha ficado um tanto confuso com minha resposta, então passei a contar-lhe algumas histórias para esclarecer melhor minhas idéias.

Certa vez ouvi, de um de meus mestres, uma frase contundente que mais se parecia com um jogo de palavras: “Se você quiser ser mais organizado, deve praticar mais a desorganização… Se buscar ser mais concentrado, pratique mais desconcentração (ou descontração, mais momentos de mente livre). Se desejar melhor memória, deverá esquecer-se mais das coisas… Se precisar de mais controle, treine mais o descontrole!”.

Embora isso possa parecer apenas uma brincadeira com as palavras, quando ouvi isso perdi a respiração e meu coração disparou! Fiquei completamente aturdido! E enquanto tentava me recompor, entrei espontaneamente em um conjunto de memórias que davam um certo sentido àquelas afirmações.

Na prática do Tai Chi Chuan, tornei-me instrutor muito rapidamente devido à minha dedicação e possuir uma coordenação motora já um tanto treinada (fui atleta). Por isso, muito cedo comecei a participar dos treinamentos mais adiantados dos instrutores, embora fosse o mais jovem e inexperiente entre eles. Numa determinada ocasião, o objetivo dos treinamentos era a conquista de velocidade nos movimentos (os mesmos que treinávamos tão lentamente quando iniciantes).

Invariavelmente meu tempo não era inferior a 90 segundos (nos treinos de velocidade) para o mesmo conjunto de movimentos que me tomavam 20 minutos na prática lenta. Treinei obstinadamente sem sucesso durante alguns meses para diminuir o tempo e fazer mais rapidamente. Meus colegas, instrutores mais antigos possuíam marcas muito melhores que as minhas.

Frustrado, pedi ao meu professor que me ensinasse o que deveria fazer para melhorar… Ele serenamente parafraseou meu desejo perguntando se eu realmente queria me tornar mais rápido: eu disse que sim. Ele insistiu e mais uma vez confirmei minha intenção. Então ele disse que eu deveria praticar mais e mais devagar dali em diante. Contestei dizendo que buscava o contrário, e ele insistiu convictamente em sua proposta, aliás determinando que nas próximas práticas seria exatamente isso que eu faria!

Após algumas tentativas disciplinadas descobri que não era tão fácil… Percebi que não conseguia ser tão mais lento do que já era, dos 20 minutos consegui aumentar apenas para 25 minutos. Além disso, perdia o equilíbrio, a fluidez e principalmente a respiração enquanto meu coração disparava! Esse novo desafio acabou me absorvendo nos meses seguintes até esquecer-me dos treinamentos com velocidade. Certo dia, após meses de prática mais e mais lenta, sem mais nem menos, foi determinado que fizéssemos uma prática de velocidade… Espantosamente constatei que, mesmo sem treinar durante meses, minha velocidade aumentara e o meu tempo foi reduzido para 70 segundos!

Talvez por isso, aquela frase que meu mestre dissera, embora contraditória tivera despertado tamanha reação orgânica em mim. Depois de alguns anos praticando hipnose, aprendi a conhecer algumas reações inconscientes que se manifestam através de sensações ou reações corporais. E esse é um dos sinais que tenho combinado com minha própria mente interior: quando não sou capaz de enxergar ou perceber algo significativo, meu coração disparara espontaneamente para sinalizar/apontar alguma descoberta importante ou conclusão para a qual não esteja suficientemente atento ou receptivo. É um sinalizador inconsciente que me ajuda a perceber melhor a realidade.

Creio que vivemos numa época cujas maiores preciosidades e oportunidades estão debaixo do nariz de todos, embora apenas alguns as encontrem (pense na oportunidade que Bill Gates aproveitou, qualquer um poderia ter encontrado isso em vez dele, a riqueza estava à disposição de quem a visse primeiro!).

Eu fui atleta e competi bastante, minha maior necessidade durante muito tempo foi o controle emocional para poder jogar melhor. Foi uma das razões que me conduziu para o conhecimento da hipnose. Conclui então que estivera procurando tal competência num local no qual eu não a acharia, apenas tentando me controlar cada vez mais!

Possivelmente você já saiba que os tapetes orientais genuínos possuem alguma imperfeição. Assim como os hindus que, mesmo tendo muitas posses, constroem casas nas quais deixam sempre algo inacabado ou defeituoso, como por exemplo, um vidro quebrado no canto da dispensa, ou uma maçaneta emperrada em alguma porta pouco utilizada… Por irracional que isso possa parecer, é bastante coerente com suas crenças de que a perfeição pertence somente a Deus, não sendo possível ao homem. Quando o homem insiste em ser perfeito corre o risco de tal poder fugir-lhe do controle! Assim sendo, deliberadamente colocam defeitos em suas obras em locais que pouco atrapalhem ou sejam visíveis ‘subentendendo’ que estarão preservando-se de imperfeições evidentes ou incômodas!

Essa sabedoria pode ser bastante útil quando buscamos compreender a natureza de alguns comportamentos indesejados, compulsões ou mesmo determinados tipos de problemas recorrentes em nossas vidas – especialmente aqueles que fogem de nosso controle! Não que devamos desprezá-los ou ignorá-los, mas sim que, embora possamos buscar insistentemente por soluções, devemos aceita-los em nossas vidas!

Era isso o que eu tencionava dizer àquele meu amigo que queria emagrecer e que já pensava numa lipo-aspiração (evidentemente desaconselhei). Era melhor que seus problemas estivessem nesse setor de sua vida, a obesidade, do que estivessem em algum outro setor como família, profissão, carreira, etc, e graças a essa sua insatisfação continuaria buscando soluções das mais diversas (cumprindo o destino inconsciente de se manter em desenvolvimento permanente). Era a única coisa que o desafiava, o incomodava e o impulsionava naqueles dias, como poderia livrar-se dela? Evidentemente esse era o meu ponto de vista que poderia justificar tantos fracassos nessa conquista.

Algumas dessas tensões são verdadeiramente ‘molas propulsoras’ na vida de algumas pessoas, principalmente quando observamos o histórico numa perspectiva maior de tempo, é muito comum concluirmos que muitos dos maiores dramas foram os maiores mestres na conquista da individualidade ou de algum dom especial!

Entre outros trabalhos e pesquisas, desenvolvi uma metodologia para ensinar idiomas estrangeiros para pessoas que têm dificuldades ou bloqueios de aprendizado ou expressão. Frequentemente, um dos maiores entraves é atribuído ao perfeccionismo que, quando exagerado, não permite ao estudante se submeter ao risco de errar, ou seja, a um processo natural no aprendizado que é a tentativa e erro (processo empírico).

Certa vez conheci um estudante de inglês que já tentava falar o idioma há muitos anos, era até dono de uma escola de línguas! Ele comentou que era perfeccionista e que graças a essa atitude e hábito, tinha conquistado muitos sucessos em sua vida: exceto falar inglês! Sugeri a ele então que deveria aplicar tal atitude da seguinte forma: “A perfeição no aprendizado de idiomas é conhecê-lo tão bem que saibamos pensar como um nativo pensa e elabora naquela língua”. Ele concordou comigo. Comentei então que, para chegarmos nesse grau de perfeição, devemos inclusive conhecer, compreender e sentir tal cultura estrangeira com tal profundidade que sejamos capazes de não julgá-los ou avaliá-los a partir de nossos paradigmas culturais… Mais uma vez ele concordou comigo.

Isso representaria flexibilizar nossos comportamentos, hábitos e atitudes a tal ponto que nos fosse possível deixar de ser quem somos para construirmos uma nova identidade linguística (pois é exatamente isso o que acontece com os bons falantes de idiomas estrangeiros, eles possuem identidades diversas para falar línguas diferentes: preste bem atenção nessas pessoas e perceberá que suas expressões faciais, gestos, voz e ‘jeitão’ são como se fossem pessoas diferentes ao se expressarem em línguas diferentes!).

Ainda assim ele concordava comigo lembrando de pessoas conhecidas que apresentavam tais alterações de identidade. Contei-lhe então que para ser verdadeiramente perfeito no aprendizado de outro idioma teria que abandonar o próprio perfeccionismo que não pertence a algumas culturas de língua inglesa! Somente assim estaria disponível para tentar, errar e acertar, exatamente como uma criança nativa aprende o idioma materno.

Conclusão

Quem sabe, graças à nossa cultura de aparências, o perfeccionismo seja um grande aliado das pessoas em buscar, encontrar e conquistar o sucesso desejado no ambiente social. Entretanto, do ponto de vista do equilíbrio das forças inconscientes, que inclusive controlam muitos de nossos comportamentos, ele pode ser um fator gerador de tensões bastante significativo, nem sempre saudáveis.

Quando buscamos a nós mesmos, pelo autoconhecimento ou através de qualquer método, imagino que nos encontraremos aprisionados em suas teias em algum momento; tal qual disse um grande mestre zen: “No caminho espiritual, sem esforço não se chega a lugar nenhum… Porém, com esforço, também não!”. Assim sendo, ao lidarmos com esse aliado devidamente, poderemos aproveitá-lo sem comprometer nossa auto-estima e auto-respeito, atitudes essenciais no caminho do amadurecimento emocional.

Walther Hermann
IDPH – Instituto do Desenvolvimento do Potencial Humano

 


"Esta matéria pode ser publicada gratuitamente em seu site, jornal, revista ou newsletter, desde que citada a fonte: www.organizesuavida.com.br. Se desejar publicar artigos e informações exclusivas entre em contato.”